Terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Banco do Brasil

ANS suspende comercialização do Cassi Família


27/06/2017
Bancários na Frente, edição 37

Desde o dia 2 de junho, a Cassi (Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil) está proibida de comercializar o plano Cassi Família, atualmente com 211 mil beneficiários. A suspensão, temporária, é uma determinação da Agência Nacional de Saúde (ANS), que recebeu no primeiro trimestre um grande volume de reclamações referentes à demora no atendimento e à cobertura assistencial deficiente da Cassi.



Site da ANS alerta consumidores a não contratarem diversos planos, inclusive o da Cassi

Por meio do seu programa de ?Monitoramento da Garantia de Atendimento?, a ANS acompanha o acesso dos beneficiários às coberturas contratadas. Com base nas reclamações recebidas e na quantidade de beneficiários dos planos de saúde, a agência reguladora identifica as operadoras que reiteradamente descumprem os prazos máximos para realização de consultas, exames e cirurgias ou que negam cobertura assistencial.

O presidente da Cassi informou que já houve uma audiência com a ANS para discutir o impacto que a suspensão pode exercer sobre o plano Associados (dos funcionários do BB e seus dependentes) e, também, para apresentar sua defesa: ele alega que parte das reclamações refere-se a prestadores que deixaram de atender unilateralmente, sem comunicação à Cassi.

Para o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região, a Cassi precisa resolver rapidamente os problemas que levaram a ANS a proibir a comercialização do plano Família. Sem o ingresso de novos beneficiários, a Cassi pode vir a ter complicações maiores, que afetarão, inclusive, outros planos. A espera prolongada por atendimento e a escassez de credenciados são problemas antigos, bastante conhecidos dos beneficiários da região de Bauru.

A Cassi é uma operadora de plano de saúde da modalidade ?autogestão?, e por isso não pode ser comparada a operadoras de outras modalidades, mais abertas e orientadas para a competição e o lucro. Sendo assim, poderia ser tratada de maneira diferente pela ANS, tendo a obrigação de oferecer qualidade, sim, mas também tendo um prazo maior para resolver os problemas apontados pelos beneficiários.

Sindicato intervirá na situação do plano em Bauru, que há tempos causa dor de cabeça aos associados.


Sindicato dos Bancários e Financiários de Bauru e Região
Rua Marcondes Salgado, 4-44, Centro - CEP 17010-040 - Bauru/SP
Fone (14) 3102-7270 Fax (14) 3102-7272 - contato@seebbauru.com.br